A ORÍGEM DO UNIVERSO




WELBERTH WARBLER MARTINS FERREIRA




O Tempo




<

          Todo mundo fala sobre o tempo, mas ninguém explica o que o tempo é. Vamos então começar falando sobre o tempo respondendo a seguinte pergunta: o que é o tempo?

          Considere um único dia, e faça a divisão deste dia em inúmeras partes de tal modo que cada uma destas inúmeras partes seja infinitamente pequena. Cada uma destas partes, infinitamente pequenas, constitui a menor parte do dia. A menor parte do dia é aquela na qual você consegue fazer que seja tão pequena o quanto a sua mente possa imaginar. O tempo é a menor parte do dia a qual é usada como parâmetro para medir a duração da realização de um evento qualquer. Por exemplo: quantas partes infinitamente pequenas do dia a lua precisa gastar para dar uma volta completa em torno do planeta Terra. Em outras palavras, qual é a duração de um ciclo completo de translação que a lua faz em torno da terra? O tempo é a menor parte do dia e a duração do ciclo de giro da lua em torno da terra é igual à soma de cada uma das partes infinitamente pequenas do dia às quais foram gastas pela lua para que a mesma pudesse se tornar capaz de fazer a realização deste evento de se deslocar em torno da Terra. O planeta Terra possui dois ciclos. O primeiro ciclo é aquele em que uma das faces da Terra é iluminada pelo sol. Este primeiro ciclo constitui a fase clara da Terra. O segundo ciclo é aquele em que a face da Terra que estava sendo iluminada pelo sol não recebe mais a luz do sol. Este segundo ciclo constitui a fase escura da Terra. Vamos considerar o dia como sendo a soma da duração do ciclo em que a Terra permanece na fase clara com a duração do ciclo em que a terra permanece na fase escura. A definição de tempo é sempre a mesma independente do lugar do universo em que você se encontra, mas a duração de um evento, por ser a soma de cada uma das partes infinitamente pequenas do dia às quais foram gastas para a realização deste referido evento, varia em função da posição geográfica em que você está. Nestas circunstancias, a duração do dia depende muito do lugar de onde você se encontra. No lugar em que você está neste exato momento, o dia tem a duração de 24 horas. No pólo norte e no pólo sul do planeta Terra, o dia tem a duração de um ano. São seis meses de claridade e seis meses de escuridão.

          A lua gira em torno da Terra, mas não tem a capacidade de girar em torno do seu próprio eixo. Por esta razão, o sol ilumina sempre a mesma parte da lua. O lado da lua que o sol consegue iluminar é exatamente aquele que nós conseguimos enxergar durante a noite. Esta metade é, por esta razão, conhecida com o nome de "o lado claro da lua". O outro lado da lua, também chamado de "lado escuro", é o lado onde o sol não consegue iluminar. Este lado escuro permanece na mais repleta escuridão por um período de tempo que apesar de ser extremamente longo, não é infinito. O lado escuro da lua só consegue receber a luz do sol durante o tempo em que está entre o planeta Terra e o sol. Assim, no lado claro da lua o dia tem a duração de um mês. Neste lado claro, as fases crescente, cheia e minguante da lua correspondem à fase clara do dia, enquanto que a fase escura, do lado claro, corresponde ao tempo em que a lua se encontra na fase de lua nova. Já no lado escuro da lua, a fase clara corresponde ao tempo em que o lado escuro recebe a luz solar durante o período de tempo em que a lua está entre o planeta Terra e o sol e a fase escura é igual ao tempo em que o lado escuro da lua esteve na escuridão por não estar nesta região. No lado escuro o dia tem a mesma duração do período de tempo em que a lua esteve entre o planeta Terra e o sol somado ao tempo em que a lua permaneceu fora desta região. Agora que você já sabe que a duração do dia depende do lugar onde você se encontra, e sabendo que Deus construiu o mundo em seis dias e descansou no sétimo, eu lhe faço a seguinte pergunta: se pegarmos como ponto de referencia o tempo de duração do dia no planeta Terra, um único dia no lugar onde Deus estava, no exato momento em que Ele construiu o mundo, tem a duração de quanto tempo terrestre? Se os meus cálculos estiverem corretos, você deve ter dito que não sabe resolver este tipo de problema. Neste caso nós estamos quites, pois eu também não sei a resposta. Não sei a resposta em nível de ser humano que sou, mas se eu fizer de conta de que não sou um ser humano e sim o universo, então neste caso eu sei a resposta. A resposta para esta pergunta segundo “o ponto de vista” do universo é: não importa a equivalência da duração do tempo em dias terrestre porque a duração do tempo, assim como o próprio tempo, faz parte de coisas que existem exclusivamente, nas mentes dos seres humanos e por esta razão, estas coisas não existem no mundo real. Antes de a raça humana ser criada pelo universo, havia apenas um único mundo que é o mundo real. Depois que o universo criou a raça humana, passou a existir dois mundos distintos e um terceiro mundo prosaico que se origina da fusão dos dois primeiros mundos. O primeiro mundo, é o mundo real e o segundo mundo, é o mundo fictício. O mundo real é aquele no qual existem apenas duas coisas as quais são verdadeiramente reais em sua existência tais como a energia e a matéria. Neste mundo real não existe nada mais do que matéria e energia, em outras palavras, neste mundo real aquilo que não é matéria é energia e o que não é energia é matéria e ponto final, não existe nada mais além disso. A energia e a matéria são coisas concretas as quais existem de fato, não só no interior do nosso cérebro como também do lado de fora da nossa cabeça. Já o mundo fictício é o mundo que é criado pelas mentes dos mortais. Neste mundo fictício não existe nada de concreto em termos de existência, tudo é feito de pensamentos, em outras palavras, tudo o que existe é planejado e configurado pelos pensamentos do ser humano de acordo com a conveniência de cada pessoa. O pensamento é uma coisa que só existe dentro da cabeça dos seres vivos e só existe enquanto estes seres vivos existirem como seres vivos. Nenhum dos pensamentos criados na parte interna do cérebro humano existe na parte de fora da cabeça do homem onde está o mundo real. Quando a sua mente exporta os seus pensamentos para o lado de fora do seu cérebro, o mundo fictício se mistura com o mundo real criando assim o mundo prosaico exteriorizado. No mundo prosaico, seja ele exteriorizado ou introspectivo, o mundo fictício se mistura com o mundo real de modo a dar a impressão de que estes dois mundos são na realidade, um único mundo. Neste mundo prosaico existe a matéria e a energia as quais estão presentes no mundo real, mas também possui um monte de outras coisas que só existem dentro das cabeças dos próprios mortais como, por exemplo, o ser humano. Do lado de fora da cabeça do homem está o mundo real e neste mundo real o homem não é um ser humano, é simplesmente matéria. Para o universo não existe nenhuma diferença entre o corpo do ser humano e uma pedra, pois tanto a pedra quanto o corpo do ser humano, no mundo real, são simplesmente matéria. A diferença que existe entre este dois corpos só se faz presente no mundo fictício que existe no interior da cabeça do próprio homem e no mundo prosaico que é a junção do mundo fictício com o mundo real. O chão em que você está pisando, neste exato momento, existe somente apenas no interior da sua cabeça onde se faz presente o mundo fictício criado por seu cérebro e também no mundo prosaico que é projetado por você para fora do seu corpo. Do lado de fora da sua cabeça está o mundo real e neste mundo real, o chão o qual você está pisando não existe. O que existe é simplesmente matéria. A mesma coisa pode ser dita sobre o planeta Terra, o cometa; as roupas que você possui; os alimentos que você come; o seu carro predileto e etc.. No mundo real, tudo isso é simplesmente matéria. Tudo o que está, além disso, é resultado da interação do seu mundo fictício com o mundo real. Nesta interação do mundo fictício com o mundo real existem o amanhecer e o anoitecer, o frio e o calor, a aurora boreal; o eclipse lunar e etc.. Do lado de fora da cabeça do homem está o mundo real e neste mundo real o amanhecer e o anoitecer, o frio e o calor, a aurora boreal; o eclipse lunar, e etc., nada disso existem. O que existe é apenas energia. Tudo o que está, além disso, é resultado da interação do seu mundo fictício com o mundo real. No interior da cabeça do homem, está o seu cérebro onde o mundo fictício existe. O mundo fictício é feito de pensamento. O pensamento não possui o lado direito e o lado esquerdo; o lado de cima e o lado de baixo; o lado da frente e o lado de trás e por esta razão nada disso existem em nível de mundo fictício, mas quando você importa o mundo real para dentro da sua cabeça, à projeção do mundo real que está sendo feita no interior da sua mente começa a interagir com os seus pensamentos criando um mundo prosaico introspectivo que é mais popularmente conhecido pelo nome de imaginação. Quando a sua mente projeta este mundo fictício para o lado de fora do seu corpo, o seu mundo fictício interage com o mundo real criando assim o mundo prosaico exteriorizado. É no mundo prosaico que existem coisas como o lado direito e o lado esquerdo; o lado de cima e o lado de baixo; o lado da frente e o lado de trás; o outono; a primavera; o verão; o inverno; a morte; a vida e etc.. No mundo real, o lado direito e o lado esquerdo não são matéria ao mesmo tempo em que também nenhum deles é energia. Se o lado direito e o lado esquerdo não são matéria e também não são energia e no mundo real só existe matéria e energia, então podemos concluir que o lado direito e o lado esquerdo não passam de pura alucinação daqueles os quais se consideram seres humanos, uma vez que nada disso existe no mundo real em nível de energia e nada disso existe no mundo real em nível de matéria. A mesma coisa pode ser dita em relação ao o lado de cima e o lado de baixo; o lado da frente e o lado de trás; o outono; a primavera; o verão; o inverno; a morte; a vida; e etc. Se você perguntar a um ser humano aonde é que você está neste exato momento, provavelmente este ser humano vai responder que agora você está, ou no escritório de informática ou na sua casa, em frente ao computador, navegando na internet. Se fizer esta mesma pergunta ao universo, a resposta será a seguinte: o “lugar espacial” no qual você se encontra não é matéria e também não é energia e por esta razão, esteja você a onde estiver; você sempre estará lá. Mas onde fica esta região que você está chamando pelo nome de Lá? Não importa em que lugar do espaço você se encontra, porque a expressão “lugar espacial” não é feito de matéria e também não é feito de energia, em outras palavras, este lugar o qual você está se referindo não existe no mundo real. Tudo isso não passa de pura alucinação da sua cabeça. As coordenadas X, Y e Z do plano cartesiano não são feitas de energia e também não são feitas de matéria e por esta razão, estas coordenadas não existem no mundo real. O plano cartesiano precisa das coordenadas cartesianas para existir, mas como estas coordenadas não existem no mundo real, o plano cartesiano também não existe. Tudo isso não passa de pura alucinação da sua cabeça. Como não se pode discutir sobre uma coisa que não existe no mundo real, eu digo que não interessa saber a onde fica o local em que você está. Você simplesmente está lá e ponto final e a partir de agora, este assunto está encerrado e não se fala mais sobre isso. Esta é a resposta que você vai ouvir todas as vezes que questionar o universo sobre a localização geográfica.






                    Próxima Página